EnglishPortugueseSpanish
Escolha uma Página

Dicas para um melhor estabelecimento do estande da lavoura

Engenheiro agrônomo compartilha orientações para produtor rural ampliar a produtividade e a rentabilidade da lavoura

Nos últimos anos, práticas e técnicas associadas ao correto estabelecimento do estande ganharam destaque no agronegócio brasileiro, uma vez que são fundamentais para obtermos um número mais próximo do ideal de plantas por hectare, contribuindo assim, diretamente para uma maior rentabilidade e produtividade das lavouras.

O engenheiro agrônomo Bruno D´Ottaviano Pellegrini, responsável por desenvolvimento de novos produtos da Laborsan Agro, explica que a análise de solo, preparo de área, escolha da cultivar e tratamento de sementes são pontos fundamentais para termos um ecossistema equilibrado e mais produtivo, contribuindo para o estabelecimento inicial do estande e máxima expressão do potencial produtivo de cada variedade/cultivar.

Formado em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista de Botucatu, com mestrado na área de solos e recursos agroambientais pelo Instituto Agronômico de Campinas e pós-graduação na Universidade de São Paulo, pela Poli, em gestão e execução de projetos de inovação tecnológica, Pellegrini alerta que não existe uma receita, um padrão a ser seguido, mas que algumas orientações podem contribuir para as boas práticas agrícolas.

Confira a seguir algumas dicas:

1) Não aproveite análises de solo anteriores

A análise de solo é uma ferramenta prática e de baixo custo, sendo essencial para um bom planejamento de adubação e plantio. Avalie, safra a safra, as diversas propriedades do solo (químicas, físicas e biológicas) e faça as correções realmente necessárias para a boa nutrição das lavouras. Nem a mais, nem a menos.

2) Atente-se ao preparo de área

Pouco adianta ter a melhor semente e investir em tecnologias se o solo não tiver condições de suplementar a cultura. Utilize as melhores técnicas, como, por exemplo, o plantio direto, que reduz a erosão e evita a perda de nutrientes essenciais, utilize curvas de nível, realize adubação orgânica sempre que possível/necessário etc. Contribua para as questões nutricionais e biológicas do plantio. O solo é a base de todo o cultivo!

3) Escolha uma cultivar compatível

Utilize a cultivar mais adequada para a sua propriedade, adequando a realidade local às possibilidades de investimento. Atente-se a fatores como produtividade, estabilidade, composição da cultivar e resistência a pragas e doenças.

Dê preferência a sementes certificadas, com alta tecnologia, desenvolvidas após muita pesquisa e estudos embasados em dados científicos e comprovados.

4) Invista em tratamento de sementes

O tratamento de sementes adequado, com doses certas de fungicidas e inseticidas, além de aditivos biológicos ou não, quando necessários, contribui para a uniformidade e para a correta velocidade de germinação. Essa fase (semente/plântula/planta) é muito sensível e qualquer estresse, seja por questões hídricas, incidência de pragas e/ou doenças, pode prejudicar severamente o potencial produtivo da lavoura. Invista, então, em um tratamento de sementes seguro e eficaz.

A Laborsan Agro (www.laborsanagro.com.br) é referência em tratamento de sementes e coloração de agroquímicos. Entre as soluções que têm tecnologia 100% exclusiva da Laborsan Agro, destacam-se film-coating (polímeros e pós secantes usados no tratamento de sementes com principal objetivo de adesão); incrustação e peletização (aglutinantes/”colas” e massas que agregam volume e peso às sementes), e coloração para agroquímicos e sementes (corantes, pigmentos e formulações especiais de coloração). Para saber mais, acesse www.laborsanagro.com.br